Reunião com Secretário de Segurança Pública

Caros amigos da família ASSPM e demais policiais militares, Nesta quarta-feira, 19 de julho, realizamos a última reunião com o Secretário de Segurança Pública, Mágino Alves Barbosa Filho, a fim de tratar de assuntos relativos a reajuste salarial para nossa classe.

Entre os presentes, além do Presidente da ASSPM, Subtenente PM Marco Antônio Zanca, compareceram o Cmt Geral da PM Cel Nivaldo César Restivo, os assessores fiscais da Secretaria da Fazenda, André Luis Grotti Clemente e Dra. Cláudia Romano, e membros da Coordenadoria das Entidades Representativas dos Policiais Militares do Estado de São Paulo (CERPM).

Os técnicos da Secretaria da Fazenda apresentaram diversos gráficos onde demonstraram que as maiores fontes de arrecadação de ICMS, que são vinculadas a energia elétrica, comércio, indústria e combustíveis, devido a atual crise, mantiveram-se em baixa, ou apresentaram queda, e que devido a lei de responsabilidade, o governo não pode ultrapassar o limite prudencial de gastos com pessoal, já informado em reunião anterior, o qual está quase em seu limite, e sendo ultrapassado impede que o governo adote ações de investimento. O Secretário enfatiza que reconhece o problema de salário dos militares, pois é filho de um e viveu nossa realidade, mas tem limitações que vão além de sua vontade; Que o governo está realizando operações no intuito de evitar fraudes, principalmente nos combustíveis, com o objetivo de elevar a arrecadação de ICMS. Também comentou seu empenho em priorizar o pagamento de seguro (indenização) por morte ou invalidez permanente, a policiais ou familiares. Reitera seu compromisso com as entidades de classe, mas sabe das limitações do governo.

O SSP também relatou que o governo está investindo em novas viaturas e na aquisição de armamento moderno para os policiais, ficando a impressão de que a aparência será mais apreciada do que o conteúdo, que é o policial militar.

Durante a reunião, além deste presidente, se manifestaram o Cel PM Antônio Chianti – Pres da AOPM, Cb PM Wilson – Pres da ACSPM e da CERPM e Cel PM Elias Miler da Silva– Pres da Defenda PM. Este último apresentou diversas informações que, mesmo concordando com os dados de arrecadação apresentados, demonstrou aos presentes que falta vontade política do governador para dar, pelo menos, reposição salarial, pois diversos estados brasileiros, mesmo com a crise que assola o pais, deram aumento salarial a seus policiais, crendo que lá também exista o “Limite prudencial”, entretanto não foi utilizado como justificativa para não conceder o aumento. Disse ainda, que nossa corporação é ordeira e seguidora das leis, não temendo que ela, como ocorreu em outros estados, realize paralizações ou greve geral, porém se mês que vem o governador não se manifestar positivamente com relação a nossa reivindicação, passará a criar problemas políticos ao governo, expondo-o em suas relações políticas e associativas.

Não dá mais para ficarmos aguardando posicionamento do governo, por mais que o SSP e o Cmt Geral demonstrem ser pessoas que entendem e compactuam com a causa policial.

Leave a Comment